Current Date:outubro 25, 2021

“El baile de los 41”: filme com Alfonso Herrera sobre polêmica festa gay da elite mexicana em 1901 estreia na Netflix

Produção de 2020 é baseada em um dos maiores escândalos da história do México. Conheça o caso!

A Netflix disponibilizou nesta quarta-feira (12) em seu catálogo El baile de los 41 (O Baile dos 41). O drama LGBTQ+ baseado em um dos maiores escândalos da história do México é estrelado por Alfonso Herrera e Emiliano Zurita. Apesar da distribuição global, o filme ainda não está disponível para o Brasil.

No longa, Poncho encarna Ignacio de la Torre y Mier, genro de Porfirio Díaz (Fernando Becerril). Casado com Amanda Díaz (Mabel Cadena), Mier vive uma vida dupla durante o início do século XX, temendo a homofobia.

El baile de los 41 – Entenda o caso real

Em 1901, durante o mandato do ditador Porfirio Díaz (1830-1915) no México, 42 homens — grande parte ricos e/ou da elite — foram presos durante uma festa em que celebravam sua identidade. No evento, metade dos convidados estava vestido com roupas femininas e a outra com trajes masculinos.

O acontecimento foi reportado pela mídia como ‘El baile de los 41 maricones’ (‘O baile das 41 maricas’, em tradução livre). Mas nota-se que um dos participantes do evento foi subtraído dos reportes. Trata-se de Ignacio de la Torre y Mier, político que aspirava se tornar governador e era genro do presidente.

A operação rapidamente tornou-se um escândalo na sociedade mexicana,  época em que a homossexualidade era vista com maus olhos e perpetrou ainda mais a LGBTQfobia, fazendo com que o resto da comunidade preferisse permanecer não assumida.

Entre as punições da prisão ilegal, já que a homossexualidade nunca foi crime no país, estavam a humilhação de varrer as ruas da capital com as roupas que estavam trajando na noite anterior e até mesmo ser encaminhado ao Exército. Além do escárnio por parte dos jornais.

A arte de reescrever a história

Para David Pablos, diretor de El baile de los 41. O projeto é uma maneira de enaltecer a identidade e expor os abusos sofridos pela comunidade LGBTQ+ na ocasião. O longa busca reescrever a história de uma forma mais humanizada.

“Para mim como diretor é muito importante falar sobre a história do Baile de los 41 e refazê-la de outro ângulo. Humanizando primeiramente esses personagens, dignificando-os e mostrando as relações que eles mantinham como grupo fraterno. É impressionante que neste país, nesta fase em que vivemos, ver homens vestidos de mulher, ver dois homens se beijando, continue gerando polêmica. Para mim, grande parte da contribuição que este filme pode dar é mostrar nossas histórias e visibilizá-las”, salientou Pablos ao LGBT+ Sessions em outubro do ano passado.

El baile de los 41 é uma coprodução México-Brasil, das produtoras Canana Films, El Estudio e Bananeira Filmes. Completam o elenco Rodrigo Virago, Fernanda Echevarría, Paulina Álvarez Muñoz, Sergio Solís, Álvaro Guerrero e mais.