Current Date:julho 16, 2024

Em edição com Lagum, L7nnon e Erykah Badu, Floripa Eco mostra que veio para ficar entre os grandes festivais do Brasil

Segunda edição do evento aconteceu no sábado (28).

Proximidade com o mar, sol, sustentabilidade e música boa são alguns dos fatores que tornam o Floripa Eco Summer Festival especial. A segunda edição do evento aconteceu no último sábado (28) e reuniu milhares de pessoas no Hard Rock Live, na Grande Florianópolis, para prestigiar artistas renomados nacional e internacionalmente.

A line-up trouxe nomes para agradar todas as tribos, desde MPB a EDM. Jorge Ben Jor, L7nnon, Baco Exu do Blues, Maria Rita, Jovem Dionísio, KVSH, Gabriel O Pensador, Negra Li e Di Ferrero estavam no meio das atrações que animaram o público por mais de 15 horas. 

Maria Rita alegrou com as faixas “Tá Perdoado” e “Coração em Desalinho”.

Entre os estreantes no palco principal: Lagum. A banda trouxe novidades na forma de se apresentar para a capital catarinense. Com canções como VEJA BABY, Andar Sozinho, NINGUÉM ME ENSINOU e Hoje Eu Quero Me Perder, os mineiros tiraram do chão a multidão — que sabia de cor as faixas.

“A gente chega em Floripa com um show muito diferenciado, com metais e percussão, então é uma entrega que ainda não mostramos aqui. Temos certeza que a galera vai curtir para caralh*!”, contou o grupo ao OFF prestes a performar.

Conversamos com Zani, Pedro Calais, Francisco Jardim e Jorge sobre a expectativa para o dia.

A estadunidense Erykah Badu também foi muito prestigiada. Mesmo com cerca de meia hora de atraso, os fãs — incluindo famosos que já haviam ou iriam cantar — não permitiram que a energia diminuísse. Em grande estilo, a rainha do neo-soul embalou a audiência com os sucessos On & On, Window Seat, Otherside Of The Game e Love Of My Life.

A atração internacional foi assistida por Jade Baraldo, Negra Li, Baco Exu do Blues, entre outros.

Outro músico altamente esperado foi o carioca, L7nnon. O rapper assumiu a responsabilidade de encerrar o Eco e entregou um concerto memorável. Projeções, fogos de artificio e canhões de serpentina foram alguns dos recursos utilizados para encantar a plateia. 

“Estou feliz demais, o evento está lotado. Vim para ver a Erykah Badu, várias pessoas brabas também tocaram, então é muita responsabilidade fechar o festival, ser a última atração musical. O coração está a milhão, espero que seja perfeito”, profetizou o jovem que trouxe no setlist diversos hits, entre eles Vim de Lá, Ai Preto, Refém, Freio da Blazer e Mais Que Isso.

Em performance cheio de recursos, L7 não decepcionou a galera.

Com novo formato e estrutura ampla em comparação ao ano anterior, a celebração ofereceu aos presentes muito mais que um dia de música de qualidade, uma experiência singular. A criação do Festival Planeta Brasil trouxe roda gigante, estandes de arte, esculturas, estúdios de tatuagem e corte de cabelo, espaços que contribuem para consolidação da personalidade da festividade.

Em apenas duas realizações, o Floripa Eco cresceu, conquistou um público fiel e o apreço da classe artística, pontos necessários para emplacar entre os grandes festivais que acontecem em território brasileiro. O potencial da festa é palpável e sua consolidação parece ser questão de tempo. 

Confira na galeria mais imagens do Floripa Eco Festival:


Reportagem: Victória Lopes

Fotografia: Victória Lopes

Veridiane Rosa